Todas as dicas para estimular o desenvolvimento muscular do seu bebê

25/06/2017

Nada mais gostoso do que ver o bebê se divertir e se desenvolver a cada dia, e a mãe, claro, tem um papel fundamental em tudo isso. Mesmo que cada um tenha seu próprio tempo para ganhar mais habilidades e fortalecimento muscular, você pode ajudar para que essa evolução ocorra com segurança e eficiência. “Criar estímulos desde cedo é muito importante tanto do ponto de vista do ganho de força, quanto da coordenação motora”, explica Sylvio Renan Monteiro de Barros, autor do livro “Seu bebê em perguntas e respostas – do nascimento aos 12 meses”.

Desde o nascimento

Os estímulos podem ter início desde o nascimento e ir evoluindo de maneira gradual. “Quando o bebê nasce vemos reflexos, como agarrar o dedo, e esse é o primeiro estímulo que ele tem. Tudo é muito novo e estranho para a criança, que precisa aprender e entender como funcionam seus músculos”, revela.

Um dos incentivos mais importantes é a massagem, um momento de carinho e troca que vai além dos benefícios físicos. “Faça massagens usando óleo neutro ou de amêndoas para que a criança perceba as sensações neuromusculares. Pode fazer movimentos suaves e ir pegando nos músculos para que ela vá notando que eles estão ali, assim como dobrar e esticar as perninhas”, ensina.

Bater palminhas é outro recurso bastante simples, mas muito mais eficaz do que as pessoas imaginam, então pode brincar sem medo: “Pegar a mãozinha e bater palminha é um ótimo estímulo para a coordenação motora, e é uma atividade muito lúdica e divertida para o bebê”.

A partir de um mês

Passado o primeiro mês de vida, a massagem pode ganhar outro reforço, dessa vez com a intenção de melhorar a visão e a força do pescoço. “No início o bebê simplesmente olha sem procurar por nada, mas a partir dessa fase é interessante passar a incentivar com brincadeiras de esconder e andar para um lado e depois para o outro enquanto fala. A visão ainda não é muito boa, então a voz é muito importante. A criança vai começar te acompanhando com os olhos, até o dia em que puder fazer o movimento com o pescoço”, aponta.

O banho de ofurô também pode ser uma ótima pedida para dar mais força aos bracinhos e ao tórax, que estão no início do seu desenvolvimento. “É preciso cuidado para não deixar que a criança mergulhe totalmente e para que ela não se assuste, e você deve segurá-la pelas axilas – nunca pelas mãos – para não ter um descolamento de cotovelo. Pode ser feito com frequência, desde que tome cuidado com a temperatura da água”, indica.

A partir dos três meses

Aos três meses, o corpo costuma estar mais durinho e o bebê pode querer começar a sentar – algo que não deve ter a sua interferência. “Ele só vai conseguir fazer isso sozinho perto dos oito meses, alguns mais cedo e outros mais tarde. Ele ainda não tem músculo suficiente para segurar o esqueleto, então os pais não devem sentá-lo, porque não há condição física e isso pode machucar”, alerta.

Apesar de não poder sentar o pequeno, existe um outro movimento que deve ser incentivado: o rolar. “É bom deixar que o bebê role, e para isso é importante ter uma cobertura no chão de pano ou de EVA. Deixe ele bem à vontade para que mexa os membros e role sozinho. Você pode brincar ficando de um dos lados e conversando com a criança para que ela tome a iniciativa de se virar para você”, esclarece.

Após os cinco meses

Agora que o corpinho do seu pequeno já está mais forte e desenvolvido, é possível trabalhar um pouquinho mais as pernas para que ele comece a ganhar forças para andar: “Pode levantar um pouco, bem suavemente, a criança pelas axilas, e apoiar suavemente no chão para que ela sinta os músculos, mas sem largar demais o peso. Ao fazer massagem, estique as perninhas e volte à posição, com muito cuidado”.

Ano: 
2017

Analytics